uploads/main/logo.jpg
Número de acessos desde 02/06/2014
Locations of Site Visitors

APRESENTAÇÃO

O Atlas da Questão Agrária Brasileira teve sua primeira versão lançada em 2008 e foi resultado da minha tese de doutorado em Geografia. A primeira versão teve apoio da FAPESP e contava com cerca de 300 mapas e naquele momento os primeiros resultados do Censo Agropecuário de 2006 do IBGE estavam começando a ser públicos. Em 2017, por meio de um projeto de pesquisa apoiado pelo CNPq, o Atlas ganha uma atualização com uma nova plataforma on-line e a adição de mais 360 mapas, atualizando os dados das diversas dimensões e com uma ampla exploração dos dados sobre a agricultura camponesa no Censo Agropecuário 2006 do IBGE.

O projeto do Atlas da Questão Agrária Brasileira é desenvolvido no Departamento de Geografia, no Programa de Pós-Graduação em Geografia e no Núcleo de Estudos, Pesquisas e Projetos de Reforma Agrária da Faculdade de Ciências e Tecnologia – Campus de Presidente Prudente da Unesp – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”.

É necessário dizer que o Atlas da Questão Agrária Brasileira é uma produção coletiva, que conta com diversos colaboradores desde os que coletam os diversos dados no campo, os que sistematizam e disponibilizam os dados nos vários órgãos, os alunos, professores e outros profissionais que contribuíram nas diversas atividades.

O Atlas é desenvolvido a partir de uma perspectiva crítica sobre a questão agrária brasileira, de forma que os conflitos e problemas no campo também estão presentes nos diversos mapeamentos e análises. Isso permite entendimentos e reflexões que compreendam o campo como um espaço complexo e que precisa de atenção para que os grandes problemas que o caracterizam sejam solucionados. Trata-se de uma contribuição da ciência geográfica para compreender o campo brasileiro a partir de seus territórios e da perespectiva regional, fundamentais para qualquer política voltada ao campo brasileiro.

O Atlas está dividido nas seguintes partes/menus:

MAPAS: todos os mapas do Atlas em escala nacional;

MAPAS DIVERSOS E PRANCHAS: mapas que não estejam em escala nacional, oriundos de outros projetos de pesquisa e também pranchas (conjuntos de diversos mapas);

ANÁLISE DA QUESTÃO AGRÁRIA: aqui está uma análise da questão agrária brasileira realizada na minha tese de doutorado defendida em 2008. São análises teóricas e dos mapas produzidos na primeira versão do Atlas.

CARTOGRAFIA GEOGRÁFICA CRÍTICA: trata-se da segunda parte da tese de doutorado e que consiste na proposição teórico-metodológica da cartografia geográfica crítica. É um tópico de maior interesse para o público acadêmico relacionado à Cartografia Geográfica.

Todo o conteúdo disponível no Atlas pode ser utilizado sem consulta prévia, desde que não seja alterado de forma alguma e que a referencia seja devidamente feita utilizando a seguinte composição:

GIRARDI, Eduardo Paulon. Atlas da Questão Agrária Brasileira. Presidente Prudente: UNESP/NERA, 2017. Disponível em: www.atlasbrasilagrario.com.br .

Por fim, é necessário dizer que em um país com tamanha produção de dados o trabalho de mapeamento e atualização de um atlas é angustiante, pois a velocidade com a qual a realidade muda e os dados são produzidos é muito maior do que o que conseguimos desenvolver na vida acadêmica, cujas demais tarefaras são inúmeras.

 

Boa leitura.

 

Prof. Dr. Eduardo Paulon Girardi